18 de abril de 2017 - 06:30

Além de Lula: personagens da política nacional que viraram cidadãos mato-grossenses

Tem corrupto delator, ex-prefeito de São Paulo, ministro do STF e até arquiteto referência no país

Mikhail Favalessa

, da Redação

mikhail.favalessa@olivre.com.br

A indicação do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para o título de Cidadão Mato-grossense concedido pela Assembleia Legislativa gerou debates na última semana. O deputado Valdir Barranco (PT) foi o responsável pela iniciativa, que já foi aprovada em primeira votação. Integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) questionaram a indicação, reivindicando que o histórico de acusações de corrupção contra Lula seja incluído na justificativa que consta na resolução. O LIVRE separou cinco outras indicações inusitadas ao título de cidadão do Estado.

Fernando Haddad

Divulgação/Edição O Livre

Divulgação/Edição O Livre

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), ainda era ministro da Educação do governo de Lula quando recebeu o título em Mato Grosso. O então deputado estadual Ságuas Moraes, do mesmo partido, indicou Haddad, que se tornou cidadão mato-grossense em novembro de 2010.

Roberto Jefferson

Arquivo Agência Brasil

Roberto Jefferson

 O ex-deputado federal do PTB, Roberto Jefferson Monteiro Francisco, foi condenado a 14 anos e sete dias de reclusão por participação no caso do Mensalão. Ele foi um dos delatores do esquema que marcou o governo do ex-presidente Lula, indicando a participação do então ministro da Casa Civil, José Dirceu. A indicação ao título em Mato Grosso veio antes da condenação: ele se tornou cidadão mato-grossense em 9 de setembro de 2008, por iniciativa do ex-deputado e ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo (PTB), e começou a cumprir prisão pelo Mensalão somente em 2013. Jefferson está em liberdade e ocupa a presidência do PTB.

Ricardo Lewandowski

Banco de Imagens STF/Edição O Livre

Ricardo Lewandowski

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Enrique Ricardo Lewandowski foi agraciado com o título em 14 de julho de 2015. Ele foi presidente do STF entre 2014 e 2016, quando o tribunal começou a receber as denúncias do escândalo da Operação Lava Jato. Como presidente do STF, foi o responsável por dirigir a sessão de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), tomando a polêmica decisão de aceitar que ela mantivesse seus direitos políticos. A indicação ao título em Mato Grosso veio do deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD).

Oscar Niemeyer

Divulgação/Edição O Livre

Oscar Niemeyer

Considerado um dos arquitetos brasileiros mais influentes do século XX e responsável pelo projeto de criação de Brasília, o carioca Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares militou no Partido Comunista e exilou-se na França durante a ditadura militar. Ele recebeu o título de cidadão mato-grossense em 16 de julho de 2008 por iniciativa da então deputada professora Vilma Moreira (PSB).

José Alencar

Palácio do Planalto/Edição O Livre

José Alencar

Senador por Minas Gerais e vice-presidente do Brasil por dois mandatos ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva, o empresário José Alencar, falecido em 2011 em decorrência de um câncer, também recebeu o título de cidadão mato-grossense. A honraria da Assembleia Legislativa foi dada a ele em 2008 pelo então deputado José Carlos do Pátio.

Leia mais