13 de novembro de 2017 - 17:00

Uber assina acordo com a NASA para desenvolver novo sistema de controle aéreo

Empresa deve iniciar testes de aeronaves não tripuladas a partir de 2020

da Redação

pautas@olivre.com.br

Divulgação

Carro voador da Uber  e NASA


Nesta quarta-feira, 8 de novembro, foi firmado um acordo com a Agência Espacial dos Estados Unidos, a NASA, para desenvolver um sistema de controle aéreo eficiente e seguro de aeronaves com capacidade para até quatro passageiros para sobrevoar baixas altitudes. Os primeiros modelos do projeto, denominado de uberAIR, devem ser testados em 2020.

Esta é a primeira parceria da Uber com uma agência do Governo Federal dos Estados Unidos para operar aeronaves voltadas ao deslocamento urbano de passageiros. A empresa espera estabelecer outras parcerias com a NASA para, em conjunto, desenvolver um novo mercado de mobilidade urbana aérea. A iniciativa faz parte dos esforços da NASA voltados aos sistema aéreo não-tripulado, que envolve parceiros nas áreas pública, acadêmica e privada.

Segundo Jeff Holden, Chief Product Officer (CPO) da Uber, “este acordo abre caminho para a empresa colaborar com a NASA no desenvolvimento de tecnologias de próxima geração do controle do sistema aéreo. uberAIR realizará mais voos diariamente pelas cidades do que os que já foram realizados antes”, afirmou Jeff Holden. “Para fazer isso de maneira segura e eficiente, é necessária uma transformação radical nas tecnologias para controle do sistema aéreo. Isso será possível combinando a expertise da Uber em engenharia de software com a experiência de décadas da NASA no espaço aéreo”, completou.

Los Angeles é selecionada para receber o uberAIR
Nesta quarta-feira, 8, a Uber também anunciou que Los Angeles foi selecionada para ser a segunda cidade dos Estados Unidos, depois de Dallas, a receber o uberAIR com o lançamento dos primeiros voos previsto para 2020. Como parte das suas iniciativas aéreas no Elevate, a Uber planeja operar uma rede de pequenas aeronaves elétricas em várias cidades do mundo para permitir voos de até quatro passageiros em grandes centros urbanos. Essas aeronaves, com capacidade para decolagem e aterrissagem vertical (VTOLs, em inglês), são diferentes dos helicópteros pois são mais silenciosas, confortáveis, seguras e geram menor impacto ambiental.

A Uber lançou um vídeo que mostra pela primeira vez a experiência de voar pelo uberAIR. Esse vídeo e outros recursos visuais estão disponíveis aqui.
Ao usar dados sobre as rotas Uber mais populares e o tráfego das rodovias, o uberAIR ajudará a diminuir os congestionamentos, o tempo de passageiro gasto em trânsito e, a longo prazo, contribuirá para a redução de emissão de gases de efeito estufa. A Uber avalia que a viagem com a aeronave, voando em cerca de 320 km/h pelos céus de Los Angeles, terá um preço competitivo quando comparada a um deslocamento por um uberX percorrendo a mesma distância. Ao longo dos próximos anos, a Uber trabalhará em estreita colaboração com as partes interessadas em Los Angeles para garantir que as questões em torno de segurança, ruído, uso do espaço aéreo, impactos ambientais e trânsito multimodal sejam abordadas. O objetivo é que o UberAIR opere voos comerciais anos antes dos Jogos Olímpicos de 2028, recentemente concedido a Los Angeles.

Embraer
Líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos, a Embraer é parceira da Uber nesta missão de transformar mais uma vez a mobilidade urbana. Em visita ao Brasil em outubro, o CEO global da Uber Dara Khoshowshahi encontrou Paulo Cesar de Souza e Silva, CEO da Embraer, reforçando esta parceria.

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

Nesta quarta-feira, 8 de novembro, foi firmado um acordo com a Agência Espacial dos Estados Unidos, a NASA, para desenvolver um sistema de controle aéreo eficiente e seguro de aeronaves com capacidade para até quatro passageiros para sobrevoar baixas altitudes. Os primeiros modelos do projeto, denominado de uberAIR, devem ser testados em 2020.

 

Esta é a primeira parceria da Uber com uma agência do Governo Federal dos Estados Unidos para operar aeronaves voltadas ao deslocamento urbano de passageiros. A empresa espera estabelecer outras parcerias com a NASA para, em conjunto, desenvolver um novo mercado de mobilidade urbana aérea. A iniciativa faz parte dos esforços da NASA voltados aos sistema aéreo não-tripulado, que envolve parceiros nas áreas pública, acadêmica e privada.

 

Segundo Jeff Holden, Chief Product Officer (CPO) da Uber, “este acordo abre caminho para a empresa colaborar com a NASA no desenvolvimento de tecnologias de próxima geração do controle do sistema aéreo. uberAIR realizará mais voos diariamente pelas cidades do que os que já foram realizados antes”, afirmou Jeff Holden. “Para fazer isso de maneira segura e eficiente, é necessária uma transformação radical nas tecnologias para controle do sistema aéreo. Isso será possível combinando a expertise da Uber em engenharia de software com a experiência de décadas da NASA no espaço aéreo”, completou.

 

Los Angeles é selecionada para receber o uberAIR

 

Nesta quarta-feira, 8, a Uber também anunciou que Los Angeles foi selecionada para ser a segunda cidade dos Estados Unidos, depois de Dallas, a receber o uberAIR com o lançamento dos primeiros voos previsto para 2020. Como parte das suas iniciativas aéreas no Elevate, a Uber planeja operar uma rede de pequenas aeronaves elétricas em várias cidades do mundo para permitir voos de até quatro passageiros em grandes centros urbanos. Essas aeronaves, com capacidade para decolagem e aterrissagem vertical (VTOLs, em inglês), são diferentes dos helicópteros pois são mais silenciosas, confortáveis, seguras e geram menor impacto ambiental.

 

A Uber lançou um vídeo que mostra pela primeira vez a experiência de voar pelo uberAIR. Esse vídeo e outros recursos visuais estão disponíveis aqui.

 

Ao usar dados sobre as rotas Uber mais populares e o tráfego das rodovias, o uberAIR ajudará a diminuir os congestionamentos, o tempo de passageiro gasto em trânsito e, a longo prazo, contribuirá para a redução de emissão de gases de efeito estufa. A Uber avalia que a viagem com a aeronave, voando em cerca de 320 km/h pelos céus de Los Angeles, terá um preço competitivo quando comparada a um deslocamento por um uberX percorrendo a mesma distância. Ao longo dos próximos anos, a Uber trabalhará em estreita colaboração com as partes interessadas em Los Angeles para garantir que as questões em torno de segurança, ruído, uso do espaço aéreo, impactos ambientais e trânsito multimodal sejam abordadas. O objetivo é que o UberAIR opere voos comerciais anos antes dos Jogos Olímpicos de 2028, recentemente concedido a Los Angeles.  

 

Embraer

 

Líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos, a Embraer é parceira da Uber nesta missão de transformar mais uma vez a mobilidade urbana. Em visita ao Brasil em outubro, o CEO global da Uber Dara Khoshowshahi encontrou Paulo Cesar de Souza e Silva, CEO da Embraer, reforçando esta parceria.

 

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.