14 de novembro de 2017 - 15:55

Mais de 28 mil pacientes aguardam por exames em Cuiabá

Dados da secretaria municipal de Saúde revelam que mais de 23 mil pessoas já passaram pela capital para realizar procedimentos médicos

Laura Nabuco

, da Redação

laura.nabuco@olivre.com.br

Ednilson Aguiar/Olivre

Pronto Socorro Municipal de Cuiabá

Pronto-socorro de Cuiabá: unidade de saúde onde são realizadas algumas das cirurgias e internações em pacientes do Sistema Único de Saúde

Mais de 28 mil pessoas compõem uma lista de espera por exames clínicos em Cuiabá. O número, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, inclui pacientes da capital e do interior e é referente apenas aos três procedimentos de apoio ao diagnóstico mais requeridos: ultrassonografia transvaginal e de abdômen total, além de endoscopia digestiva.

Ao longo do ano, outras 23.819 pessoas já passaram pela capital em busca de cuidados médicos. Isso se contabilizados somente os três tipos de exames, cirurgias e motivos de internação mais recorrentes registrados até a última quinta-feira (9), de acordo com a secretaria municipal.

No caso da lista de espera, a ultrassonografia transvaginal é o exame mais procurado. Foi requerido por 11.524 das pacientes que estão aguardando por uma vaga em Cuiabá. Para a ultrassonografia de abdômen, são 9.303 pessoas na espera. Já a endoscopia digestiva precisa ser realizada por outros 7.341 pacientes.

Outro procedimento exclusivo para mulheres, a mamografia, aparece na lista dos que foram mais realizados em pacientes na capital. Até o início de novembro, eles somaram 8.279, do total de 17.052 dos três exames mais procurados.

Os dois itens da lista são: eletrocardiograma, realizado em 4.505 pacientes, e o ecocardiograma, realizado em 4.268 pessoas.

Já as cirurgias mais procuradas são as relacionadas a membros inferiores do corpo (pernas), que totalizaram 1.332 procedimentos, e que envolvem o aparelho digestivo, somando 1.012 outros procedimentos.

As internações, por sua vez, – que totalizaram 2.079 pacientes até a última quinta-feira – têm como principais razões insuficiência cardíaca (831 casos), infecção bacteriana (651) e ameaça de aborto (597).