14 de fevereiro de 2018 - 17:02

Investigação da tentativa de resgate em UPA é prioridade, diz secretário

Gustavo Garcia ressaltou que as polícias Militar e Judiciária Civil estão "mobilizadas"

da Redação

Ednilson Aguiar/Olivre

Segurança, Gustavo Garcia

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) trata como prioridade a investigação da tentativa de regaste a um preso ocorrida nessa terça-feira (13), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Morada do Ouro, em Cuiabá. Em entrevista à imprensa, na tarde desta quarta-feira (14), o secretário Gustavo Garcia ressaltou que as polícias Militar (PM) e Judiciária Civil (PJC) estão mobilizadas.

O secretário ainda destacou que uma equipe da PJC, por conta da gravidade, está à disposição do caso. “A Sesp busca soluções. São feitos os trabalhos preventivos e ostensivos, mas sempre com o objetivo de que crimes não ocorram”, enfatizou Gustavo Garcia.

A segurança em patrimônios públicos municipais, como na UPA, deveria ser de responsabilidade da Guarda Municipal, mas como em Cuiabá não há em atividade essa instituição foi assinado um Termo de Cooperação Técnica entre a Sesp e Prefeitura para que se tenha policiais nos locais.

“Os policiais trabalham durante a folga e quem faz toda a escala é a Secretaria Municipal de Ordem Pública. Nós [Sesp] cedemos a mão de obra. A escala desses policias, que são cedidos, é feita de acordo com a disponibilidade orçamentária do município e a partir daí os policiais militares trabalham em suas folgas, respeitando limite legal de horas, nessas atividades delegadas”, explicou o secretário estadual.

Gustavo Garcia também explicou que quando identificada a periculosidade na transferência do detento a uma instituição de saúde, por exemplo, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), por meio do Serviço de Operações Especiais (SOE), pode acionar apoio da Secretaria de Segurança Pública, via Polícia Militar e Polícia Judiciária Civil. A escolta e segurança dos reeducandos é de responsabilidade exclusiva da Sejudh.

A ação dos criminosos na Unidade de Pronto Atendimento da Morada do Ouro, que resultou em cinco pessoas baleadas, entre pacientes, agente prisional e enfermeira, foi lamentada pelo secretário estadual de Segurança Pública.

(Com Assessoria)