18 de maio de 2017 - 12:23

Entrega simbólica revolta moradores de residencial

Inauguração de residencial do "Minha Casa, Minha Vida" teve até ministro. Mas famílias não receberam chaves das casas

Rodrigo Vargas

, da Redação

rodrigo.vargas@olivre.com.br

Ednilson Aguiar/O Livre

Residencial São Benedito, em Várzea Grande

Famílias contempladas com casas no residencial São Benedito, em Várzea Grande: vigília pela entrega das chaves


Um dia de festa, com autoridades das três esferas de governo, discursos emocionados e, ao final, a entrega das chaves da casa própria. Este era o roteiro imaginado pela dona de casa Elaine Arruda, de 26 anos, quando se dirigia à cerimônia de inauguração do residencial São Benedito, um complexo de 1.281 casas populares no bairro São Matheus, em Várzea Grande. Era dia 15 de maio, e o município comemorava o aniversário de 150 anos.

Elaine havia sido sorteada para o projeto, uma parceria entre o governo federal, por meio do programa "Minha Casa, Minha Vida", governo do Estado e a prefeitura de Várzea Grande. Ela conta que recebeu a notícia, por representantes do município, de que todas as chaves seriam entregues durante o evento.

"Todo mundo passou para a gente que dia 15 era para chegar aqui de manhã para organizar os sorteados das três etapas", afirma ela. "Disseram que iriam entregar as chaves, fazer as vistorias neste dia e assinar o contrato. Depois, era só para fazer o pedido da água e da luz".

O governador Pedro Taques e o ministro das Cidades, Bruno Araújo, foram à cerimônia. A dona de casa afirma que só ali, naquele momento, soube que a entrega seria apenas "simbólica". "Nunca teria ido até lá se soubesse que não receberia a casa. Ou seja, fomos enganados para garantir que tivesse público na inauguração", conta, em meio a um grupo de cerca de trinta contemplados que decidiram montar vigília ao lado do residencial.

O problema, segundo eles, não foi apenas a decepção com o evento. Como acreditavam que se mudariam em breve, muitas famílias empacotaram móveis e, mais grave, pediram o cancelamento de contratos de aluguel e até de favores. "Eu morava de favor em uma casa e avisei que sairia até o dia 20. No dia seguinte à inauguração, encontrei meus móveis do lado de fora e a chave trocada", diz Graziela Oliveira, 30, com um filho de seis meses no braço. "E agora não tenho onde ficar".

Ednilson Aguiar/O Livre

Residencial São Benedito, em Várzea Grande

Conjunto de 1281 residência foi inaugurado com festa e a presença do ministro das Cidades, Bruno Araújo


A prefeitura de Várzea Grande nega que tenha convocado os contemplados para receber as chaves no evento. "Isso nunca existiu. O cronograma de vistorias e entregas é público", afirma o secretário de Comunicação, Marcos Lemos. A entrega das chaves é a última etapa de um processo que inclui a verificação de documentos dos contemplados e a vistoria dos imóveis, que será realizada entre maio e julho. "Algumas famílias estão querendo se mudar antes de passar por essas etapas", diz.

Em nota divulgada na quarta-feira, a prefeitura anunciou a entrega das primeiras chaves às famílias contempladas. “As casas estão sendo entregues, principalmente respeitando a lei e a ordem, além da lista de contemplados que venceram os sorteios realizados pelo município com acompanhamento da Controladoria Geral da União – CGU, da Polícia Federal e do Ministério das Cidades”, declarou o secretário de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo, Kalil Baracat.

Leia mais