12 de janeiro de 2018 - 18:58

Artistas homenageiam dramaturgo: “foi espalhar sabedoria nas estrelas”

O velório de Luiz Carlos Ribeiro será na Sala Orquídeas na Capela Jardins às 23 horas

Lázaro Borges

, da Redação

lazaro.borges@olivre.com.br

Luiz Carlos Ribeiro - Bala Perdida

Luiz Carlos Ribeiro durante gravação do filme "Bala Perdida"

A morte do dramaturgo Luiz Carlos Ribeiro na tarde desta sexta-feira (12) causou uma série de lamentações e homenagens entre agentes culturais e figuras importantes que conviveram de perto com aquele que foi um dos mais importantes profissionais do teatro mato-grossense. O velório de Luiz Carlos Ribeiro será na Sala Orquídeas na Capela Jardins às 23 horas e segue até às 15h do sábado (13). O sepultamento será em Santo Antônio de Leverger. 

O escritor e advogado Eduardo Mahon, um dos principais nomes da literatura local, afirmou que Luiz Carlos foi um grande intelectual e uma das “melhores cabeças” com quem ele conviveu. 

"Fico feliz por tê-lo abraçado, por tê-no na minha casa e, de certa forma, partilhado um mesmo sonho, o sonho daqueles que fazem arte”, comentou Mahon.

As homenagens também vieram do “Papai Noel Pantaneiro”, o professor Clovis Matos, que usou uma metáfora para amenizar a dor da perda, classificando o colega como um “senhor das histórias e dos casos”.

“Meu irmão, Luiz Carlos Ribeiro, homem das artes e das Leis, embarcou em uma nave intergaláctica e foi espalhar sua sabedoria em outras estrelas”, falou.

Grandes companheiros do palco e da vida, também se manifestaram:

"Grande perda para o teatro matogrossense! Luiz Carlos Ribeiro pegou sua mala encantada de fontes dramatúrgicas, para rever e conviver com tantos astros como ele, que marcam eternamente a memória cultural da nossa terra! Que vc seja recebido com as pompas e acolhimento que merece, como nosso astro em transição!" (Vera Capilé)

"Aplausos para o artista Luiz Carlos Ribeiro Ribeiro, meu amigo, meu irmão, minha referência artística, agora encantado, de fato e de direito! (Ivan Belém)

"O ator mais pantaneiro do mar de Xaraés deixa o cerrado, pra viver eternamente no mundo do Pantanal. Advogado, ator, dramaturgo, contador de causos e histórias, filho do Morro de Santo Antônio de Leverger, Luiz Carlos Ribeiro Ribeiro, nos aplaude em pé, diante da última cena. O teatro e a cultura mato-grossense estão em luto. Mas as águas do Pantanal estão mais claras e mais brilhantes com o seu mais novo Embaixador Pantaneiro" (Carlos Ferreira) 

"Desde os 80, quando a arte de vanguarda era o nosso mote, Luiz Carlos já nos era referência" (Carlos Taubaté)

"Agora compreendo as lagrimas que caíram do céu e o belíssimo sol que ressurgiu. Estava acolhendo uma energia incrível que se despediu da terra e foi alegrar o infinito. Mato Grosso perde uma das incríveis personalidades do teatro... Quem teve o prazer de sentar com LuizCarlos e papear sem destino? Agradeço pelos conselhos, histórias, energias, transpirações, loucuras, risos, danças, sorrisos..." (Jefferson Jarcem)

"Fizemos teatro e cinema juntos. Tivemos o privilégio de conviver com o grande Luiz Carlos Ribeiro. Foi um grande artista, um mestre e inspirador. Vai contar histórias em outro plano, alegrar outras plateias. Fica um pouco de você e vai um pouco de nós embora. Obrigado amigo, vai com Deus" (Justino Astrevo Aguiar)

Luiz também foi ator, diretor e arte-educador e deixou a cena cultural do Estado aos 75 anos após uma vida inteira de contribuições às artes. O dramaturgo foi diagnosticado com câncer no intestino em estágio avançado e estava internado na UTI do Hospital Santa Rosa.