17 de janeiro de 2018 - 08:25

Paulistão começa com "jeito" de laboratório e aposta na rivalidade

Com a Copa do Mundo, o torneio deve dar mais espaço para os jovens, com a criação de uma lista ilimitada para atletas oriundos das divisões de base

da Redação

, da Redação

Começa nesta quarta-feira mais uma edição do Campeonato Paulista com novidades, um calendário mais apertado por causa da Copa do Mundo, e rivais em busca de objetivos bem distintos. O torneio deste ano deve dar mais espaço para os jovens, com a criação de uma lista ilimitada para atletas oriundos das divisões de base. Além disso, alguns times deverão utilizar a competição como espécie de treinamento para objetivos maiores.

A exceção deve ser o São Paulo. Sem um título estadual desde 2005, o maior jejum dentre os grandes do Estado, a equipe comandada por Dorival Júnior vai disputar a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil, mas o Estadual deverá ser encarado com maior seriedade.

Em relação ao time de 2017, chegaram o goleiro Jean (Bahia), o zagueiro Anderson Martins (Vasco) e o meia-atacante Diego Souza (Sport). Por outro lado, Dorival perdeu Hernanes e Lucas Pratto, dois de seus principais jogadores.

Já Corinthians, Palmeiras e Santos vão disputar a Copa Libertadores em meio ao Estadual. Como de praxe, o torneio regional deve ser colocado de lado em algum momento. O campeão paulista receberá da Federação Paulista de Futebol R$ 5 milhões, valor que também não chega a animar os clubes.

Empolgação existe entre os palmeirenses por conta da montagem do elenco. Mais uma vez, o time foi agressivo e se reforçou com jogadores que causam impacto. As principais contratações foram os meias Lucas Lima e Gustavo Scarpa. Chegaram ainda Marcos Rocha, Diogo Barbosa e Weverton, nomes que fazem com que a equipe volte a aparecer como favorita ao título.

Atual campeão, o Corinthians surpreendeu no ano passado (quando foi chamado de "quarta força") e espera repetir o feito. Como em 2017, a equipe conta com a desconfiança de boa parte da torcida, por ter perdido importantes titulares e não conseguir a reposição à altura. Os principais reforços, por enquanto, foram o lateral-esquerdo Juninho Capixaba e o atacante Emerson Sheik. O zagueiro Henrique também deve chegar.

O Santos parece ser o time que mais tem o que ajustar no elenco, já que perdeu peças importantes - como Lucas Lima e Ricardo Oliveira - e ainda não conseguiu fazer grandes transformações. Por enquanto, a principal novidade é o técnico Jair Ventura, que encara o desafio de atuar no futebol paulista após passagem pelo Botafogo.

O que pode ser o diferencial do Paulistão deste ano é a criação da lista "Pratas da Casa". A novidade permite às equipes inscreverem atletas da base, que tenham até 21 anos e já estejam no clube há pelo menos um ano. A ideia é fazer com que mais jogadores sejam revelados e também dar um fôlego para os principais atletas, em meio à maratona de diversas competições.

RODADA - O confronto entre campeão e vice do ano passado é o principal jogo da rodada de abertura do Paulista. No Pacaembu, Corinthians e Ponte Preta se enfrentam às 21h45. Juninho Capixaba está fora, por não ter sido inscrito dentro do prazo. Dos reforços, Junior Dutra e Renê Júnior podem estrear, mas iniciarão a partida no banco de reservas.

O São Paulo viaja nesta quarta a Sorocaba para enfrentar o São Bento com um time reserva. O técnico Dorival Junior prometeu alternar dois times nas primeiras quatro rodadas do torneio para evitar o desgaste do atletas. Com isso, crescem as chances de aproveitamento de jovens. A formação que estreia é cheia de nomes da base: os zagueiros Rony e Aderllan, os meio-campistas Pedro Augusto e Paulo Henrique e o atacante Bissoli. O Santos também joga fora de casa na estreia de Jair Ventura no comando da equipe. Enfrentará o Linense, no interior do Estado.

(Com Agência Estado)