31 de julho de 2017 - 21:20

Paris vai sediar as Olimpíadas de 2024

Los Angeles disputava escolha com a capital francesa, mas fez um acordo com o Comitê Olímpico para sediar os Jogos de 2028

da Redação

pautas@olivre.com.br

Malte Christians/APF

Torre Eiffel

Paris vai receber os Jogos Olímpicos de 2024. A cidade de Los Angeles, que disputava com a capital francesa, fez um acordo com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para sediar os Jogos de 2028. 

O acordo surpreendeu porque a decisão do COI sobre as futuras cidades-sede dos eventos olímpicos de 2024 e 2028 era esperada para somente daqui a um mês e meio. No dia 11 deste mês, o COI anunciou que Los Angeles e Paris serão as próximas sedes das Olimpíadas de verão. No entanto, não havia definido a ordem das sedes quanto às duas edições dos Jogos.

Tanto Los Angeles quanto Paris queriam receber o evento de 2024. Com o acordo da cidade americana, a cidade francesa será oficializada nos próximos dias como futura sede da Olimpíada, justamente 100 anos depois de receber o evento pela primeira vez, em 1924.

"Estamos prontos para 2024", afirmou Tony Estanguet, um dos responsáveis pela candidatura parisiense. "O anúncio de hoje é um sinal de progresso feito e a entrega de uma boa solução para os membros do COI no encontro de setembro, em Lima. Estamos agora ansiosos pela oportunidade de trabalhar em conjunto com Los Angeles e contribuir para Jogos Olímpicos bem-sucedidos em 2024 e 2028", declarou.

Pelo acordo que fez com o COI, Los Angeles receberá uma compensação financeira por adiar seu projeto de sediar a Olimpíada pela terceira vez na história para 2028. Para Paris, o pacote do COI será de US$ 1,7 bilhão (cerca de R$ 5,3 bilhões), contra US$ 1,8 bilhão para a cidade americana.

Caos no Rio

Los Angeles, que receberá US$ 300 milhões (R$ 943 milhões) a mais que o Rio de Janeiro em ajuda do movimento olímpico, ainda ganhou a promessa de que receberá logo de início US$ 180 milhões, algo que tradicionalmente o COI só entregou com parte da organização em andamento.

Depois dos Jogos do Rio-2016, o COI foi duramente criticado por ter deixado a cidade com uma receita bilionária e uma sede em caos financeiro. Agora, Los Angeles ainda ganhou o direito de negociar acordos com patrocinadores e obteve do COI o desconto de certos pagamentos que, segundo os organizadores, economizarão milhões dos americanos. A cidade, porém, garante que não usará dinheiro público e que o evento irá se financiar.

Depois da experiência do Rio e sem cidades entrando na fila para sediar o evento, o COI optou por ceder. A situação permitiu que os americanos obtivessem condições que poucas cidades no mundo obtiveram.

Paris 2024

A candidatura da capital francesa contou com o apoio do presidente Emmanuel Mácron. Além disso, a cidade tem a vantagem de já ter pronta 93% das estruturas que receberiam as disputas olímpicas. O projeto é orçado em 6,2 bilhões de euros (cerca de R$ 23 bilhões).

Outro trunfo é a construção da Vila Olímpica que, após os Jogos, será transformada em habitações para famílias de baixa renda. O projeto já estava pronto. A ideia é aproveitar o evento para, além de beneficiar Paris, completar a transformação da cidade de Saint-Denis.

Somente uma arena será construída: o centro aquático que será erguido ao lado do Stade de France, em Saint-Denis, que será transformado em estádio olímpico para receber as cerimônias de abertura e encerramento e o atletismo.

O ginásio de Bercy receberá os esportes coletivos como basquete, handebol e vôlei. O Stade Jean Bouin será o palco do rúgbi. Roland Garros (tênis e boxe) e o Parque dos Príncipes, do Paris Saint-Germain, serão utilizados, como o Velódromo de Saint Quentin en Yvelines e o Stade 92, em Nanterre, ambos na periferia da capital. Até monumentos e parques, como o Grand Palais e o Hotel des Invalides ou o Champ de Mars, onde fica a torre Eiffel, serão adaptados para receberem provas.

(Com Agência Estado)

Leia mais