19 de janeiro de 2018 - 09:54

Em MT, goleiro é preso durante o jogo por não pagar pensão

À imprensa, dirigentes do tricolor revelaram que o valor da pensão devida chega a R$ 27 mil e que não é paga desde 2003.

Gabriele Schimanoski

, da Redação

pautas@olivre.com.br

Lucas Ninno

goleiro heverton perereca

Heverton Perera foi preso no intervalo da partida

Um fato inusitado marcou a estreia do clube Operário de Várzea Grande no campeonato mato-grossense de 2018. Durante o intervalo entre o primeiro e o segundo tempo da partida contra o Luverdense, realizada na noite da última quinta-feira (18) na Arena Pantanal, o goleiro do time da baixada foi preso.

Heverton Santos de Oliveira, mais conhecido como “Heverton Perereca”, foi levado por um oficial de Justiça e outros quatro Policiais Militares da Rotam (Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas) para o Centro de Custódia da Capital por atrasar a pensão de sua filha. 

O mandado para prender o atleta foi assinado pelo juiz Alberto Pampado Neto, da Terceira Vara especializada em Família e Sucessões de Lucas do Rio Verde (282 km de Cuiabá) e prevê que ele fique na cadeia por 60 dias. 

Pessoas próximas ao goleiro afirmam que ele já acumula dívidas de quase R$ 30 mil, que englobariam aproximadamente quatro anos sem efetuar o pagamento.

O goleiro passou por exame de corpo delito no Instituto Médico Legal e foi encaminhado ao Centro de Custódia de Cuiabá, já que possui formação em Educação Física.

Jogo

Com a saída do goleiro entre o primeiro e o segundo tempo, o time se viu obrigado a reorganizar sua formação em campo, com a entrada do goleiro reserva, e perdeu um pouco o fôlego mostrado no início.

No primeiro tempo, as duas equipes anotaram gols e o placar ficou em 2 para a equipe de Lucas do Rio Verde e 1 para o time de Várzea Grande, com direito a gol de bicicleta do atacante do Operário Thiago Araujo.

Sem ritmo, o Operário conseguiu apenas manter o placar no segundo tempo, e acabou perdendo na sua estreia por 2 a 1.