28 de março de 2017 - 16:48

Dirigente argentino critica Fifa por punição a Messi: "Estamos irritados"

Jogador foi suspenso por quatro jogos que são eliminatórios da Copa do Mundo

Da Redação

pautas@olivre.com.br

A cerca de seis horas do início da partida entre Bolívia e Argentina, nesta terça-feira, o time argentino perdeu seu principal craque para o jogo. Lionel Messi foi suspenso por quatro jogos pela Fifa por ter insultado o árbitro assistente brasileiro Emerson Carvalho no duelo com o Chile, na quinta-feira passada. A punição gerou rápida reação da Associação de Futebol da Argentina (AFA).

"Estamos irritados e tristes porque ele não poderá estar com o time", declarou Jorge Miadosqui, diretor de seleções da Argentina. O dirigente confirmou que a entidade vai recorrer da punição. "Temos que apelar contra esta decisão, vamos ver como vai acontecer", afirmou. Para o presidente interino da AFA, a Fifa poderia ter sido mais "razoável" nesta decisão sobre Messi, principalmente pelo fato de a sanção já valer para o jogo desta terça. "Acho que foi uma punição incomum porque deve abrir um precedente que deve afetar o futuro de muitas coisas", disse Armando Pérez, em entrevista ao canal TyC Sports.

"Acho que é um assunto muito sensível. Eles deveriam ter sido mais razoáveis ou deveriam ter encarado este assunto de um jeito diferente", reclamou o presidente provisório, que ocupa o cargo por intervenção da própria Fifa. "Quatro jogos de suspensão é muita coisa", criticou. A punição deve aumentar o atrito entre a AFA e a Fifa. As duas entidades tentam chegar a um acordo sobre o futuro do comando da AFA, após seguidas denúncias de corrupção no futebol argentino, na esteira do escândalo de corrupção que causou a prisão de sete cartolas sul-americanos em maio de 2015, na Suíça. As dificuldades na gestão da AFA causaram a intervenção recente da Fifa. No momento um comitê de emergência comanda a entidade nacional desde junho do ano passado. Caso não obtenha sucesso no recurso, a Argentina não terá o seu principal jogador contra Bolívia, Uruguai, Venezuela e Peru, nesta ordem, nas Eliminatórias. O jogador do Barcelona retornaria somente na última rodada do qualificatório sul-americano para a Copa de 2018, diante do Equador.
(Com Agência Estado)

Leia mais