Editorial

Julho de 2017

Segunda-feira, 24/07/2017 09h13

A onda de denúncias envolvendo os grampos ilegais utilizados em Mato Grosso tem apenas uma consequência: desinformação. Até o momento, pouco se sabe sobre o que realmente ocorreu, ou seja, quem são os verdadeiros responsáveis pela ilegalidade. É fundamental que as investigações continuem e que cheguem aos responsáveis. Até lá, a guerra de versões favorece os culpados verdadeiros - que até o momento não foram identificados - e pune os inocentes, que acabam envolvidos sem ter responsabilidade no processo. 

Sexta-feira, 21/07/2017 06h00

Nos últimos anos, a política vem sendo judicializada. Se um grupo de deputados não gostou da decisão majoritária, não é incomum ver questionamentos surgirem nos tribunais. Brasília é certamente o epicentro desse fenômeno. Mas a influência já chegou a Mato Grosso. O deputado federal e ex-presidente do PSB estadual Valtemir Pereira quer levar aos tribunais de Brasília a sua destituição da liderança na sigla. Em Mato Grosso, seu recurso foi negado. Ele espera que, na capital, a história seja outra. Ou seja, que a Justiça consiga para ele o que a política não permitiu. Se a política não depende mais de si para ser reconhecida, como questionar a descrença popular nos políticos? 

Quinta-feira, 20/07/2017 06h00

O ex-governador Silval Barbosa resolveu abrir a caixa de Pandora dos crimes que cometeu à frente da administração do estado. Que bom. Eis uma das poucas prestações de contas que o político irá fazer junto ao povo. Dessa forma, desnuda-se o modus operandi da quadrilha que dominou Mato Grosso por anos importantes, em que tanto o país quanto o estado cresceram a índices acima da média. A expectativa dos antigos líderes era que esse ritmo de avanço da geração de riquezas fosse o novo normal. Mas não era. Era ouro de tolo. E agora, com o país em crise, aquilo que pode ter parecido pouco na hora do roubo no passado é muito para o presente. E a denúncia ganha tons mais graves ao se notar que muito mais poderia ter sido feito para garantir um presente mais próspero. Mas o passado não volta, e esses depoimentos servem para que, no futuro, os erros não sejam os mesmos.

Quarta-feira, 19/07/2017 06h00

O presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), travam uma guerra velada nos bastidores. Ambos correm atrás de deputados insatisfeitos com os seus partidos e lhes franqueiam as portas do PMDB, no caso de Temer, e do DEM, de Maia. Essa batalha visa fortificar cada um deles para uma disputa maior. Com Temer enfraquecido, Maia vê aumentar a sua perspectiva de poder. Real ou não, ele se antecipa. Se chegar à presidência, irá necessitar uma base forte. Ele já entrou nessa batalha.

Segunda-feira, 17/07/2017 06h00

As câmeras que a prefeitura de Cuiabá instalou na cidade para monitorarem o trânsito ainda não começaram a multar. São gastos aproximadamente R$ 800 mil por mês que, segundo o governo, já melhoraram os hábitos do morador da capital ao volante. A explicação pode até fazer sentido, já que, sem saber se está valendo ou não o sistema, o motorista fica mais alerta. O problema é que não há garantias que nesse formato a eficácia irá se manter. O efeito punitivo também educa. A ação policial contra a criminalidade evidencia isso. Resta saber quando o efeito punitivo irá começar a ser aplicado na capital.

Segunda-feira, 17/07/2017 06h00

A força política que o presidente Michel Temer exibiu tão logo assumiu o poder já não existe mais. Na montagem do seu governo, ele escolheu representantes do Congresso para compor o seu primeiro escalão. Com isso, garantiu uma maioria com força suficiente para aprovar todas as medidas que o país necessitava naquele momento. Entraram na pauta reformas tão polêmicas quanto fundamentais: teto dos gastos, previdência, leis trabalhista. Tudo corria bem até a delação da JBS ganhar os holofotes. Hoje, como mostrou reportagem do Livre, ele sequer consegue convencer seus ministros a gravarem um vídeo em defesa do seu governo. Os ventos da mudança que tiraram Dilma Rousseff do poder parecem assoprar na direção do seu sucessor.

Sábado, 15/07/2017 07h00

Uma pergunta que todo cuiabano já deve ter formulado é o que será feito com as obras do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). Projetado para ser entregue na Copa do Mundo de 2014, o modal ainda está na fase de construção. O atual governo, de Pedro Taques (PSDB), sugeriu uma nova rodada de investimentos para concluir as obras. Já o Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual discordam. O imbroglio continua e, enquanto não há uma solução, a cidade continua cortada por uma obra cujo futuro poucos sabem qual será.

Sexta-feira, 14/07/2017 06h02

Condenado em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorreu ao povo em seu primeiro discurso público depois de revelada a sentença. Para ele, no entanto, apenas a população do país pode decretar o “fim” de sua carreira política. Com esse discurso, amplamente repetido nos últimos anos, Lula reforça o caráter que imprimiu ao seu governo e estilo de atuação, que agora vem sendo revelado pela operação Lava Jato. Para ele, mais vale seu interesse político do que a lei. Dessa forma, tenta fragilizar as instituições brasileiras ancorado em uma popularidade que ainda mantém. Mas a lei está acima da popularidade, e esse foi o segredo das nações que conseguiram enriquecer ao longo dos últimos séculos. Não importa o quão amado seja um político, se fez algo errado, deve ser punido. O governador Pedro Taques fez observação precisa sobre o caso: ninguém está acima da lei. Nem mesmo os mais populares. Esse é o Brasil que emerge da Lava Jato.

Quinta-feira, 13/07/2017 07h45

Quarta-feira, 12/07/2017 06h01

A aprovação do texto-base da reforma trabalhista no Senado é sinal de alento para o setor produtivo brasileiro. Mesmo com o governo de Michel Temer ruindo, os senadores fizeram um gesto que pode auxiliar na retomada do crescimento do País. A legislação anterior era resquício do governo de Getúlio Vargas, encerrado há sete décadas, e foi inspirada nas regras criadas pelo regime fascista de Benito Mussolini. A chamada CLT foi a versão brasileira da Carta del Lavoro, da Itália. A expectativa é que, com regras mais flexíveis, o Brasil receba mais investimentos e gere mais oportunidades para o cidadão. Uma boa notícia em meio à crise.

Terça-feira, 11/07/2017 09h44

Terça-feira, 11/07/2017 09h44

Segunda-feira, 10/07/2017 07h23

É um acinte ao consumidor a informação de que a variação nos preços do combustível em Cuiabá ultrapassa 27%. A afronta ao bom censo foi revelada por uma reportagem do LIVRE, depois de verificar os valores em 31 postos da capital. No caso do etanol, por exemplo, a diferença chegou a R$ 0,51 por litro. Os sindicatos do setor tentam justificar o absurdo apelando para explicações que vão dos custos fixos do posto à localização do mesmo. O Procon busca sem muito sucesso fazer algum tipo de fiscalização. Mas o único poder real para mudar essa realidade está nas mãos do cidadão. É ele que decide onde abastecer o seu carro. E agora sabe que pode pagar muito menos por isso.

Sábado, 08/07/2017 06h00

Depois da meia dúzia de ministros envolvidos em escândalos de corrupção, outros tantos citados nos acordos de delação premiada e listados nas planilhas de propina da Odebrecht e mais alguns acusados de tentativa de obstrução de Justiça e abuso de poder, cresceu nesta sexta-feira o prontuário do primeiro escalão de Michel Temer. Ao menos dois caminhões de madeira ilegal e uma arma de fogo foram encontrados em uma propriedade de Marcos Antônio Tozzatti, sócio de Eliseu Padilha, Ministro-Chefe da Casa Civil. Deve ser perseguição.

Quinta-feira, 06/07/2017 07h16

Há menos de um mês, o país se comoveu diante do choro do médico Roberto Yoshida, diretor do Hospital Regional de Sorriso, sob intervenção do governo de Mato Grosso desde 2015. Eternizadas num vídeo de três minutos, as lágrimas mostravam o desespero de um homem que lutava para manter viva a unidade condenada à morte por indigência financeira crônica. Nesta quarta-feira, uma reportagem do LIVRE revelou um corte no valor destinado a hospitais de municípios do interior e a concentração dos recursos em cidades como Cuiabá e Várzea Grande. O governo, como sempre, tem suas justificativas. A população que terá ainda menos acesso à saúde torce para que seus hospitais não tenham o mesmo destino de Sorriso.

Quarta-feira, 05/07/2017 06h29

Nesta terça-feira, os mato-grossenses foram brindados com uma ótima notícia. O Conselho Superior do Ministério Público decidiu afastar o promotor Fábio Camilo da Silva e instaurar um procedimento administrativo para apurar sua conduta na comarca de Guarantã do Norte. Num só fim de semana, Fábio foi flagrado em três episódios envolvendo embriaguez ao volante, desacato e lesão corporal, entre outros crimes, mas foi liberado pouco depois por ter foro privilegiado. Punição semelhante deveriam sofrer os vereadores de Várzea Grande que apresentaram uma moção de repúdio contra uma guarda municipal que multou um de seus pares por estacionar em local proibido. A justificativa seria simples: a lei vale para todos.