11 de agosto de 2017 - 20:21

Com currículo de respeito, companhia de teatro leva cultura de MT para o Brasil

Cia. Vostraz de Teatro resiste em Várzea Grande, onde não há teatro nem secretaria de Cultura

Karina Stein

, da Redação

karina.stein@olivre.com.br

Fazer teatro numa cidade sem teatro e sem secretaria de Cultura. Sobreviver e resistir fazendo arte em Várzea Grande é algo que só os fortes conseguem, com paixão e uma grande ajuda dos amigos. Essa é a realidade que vive a Companhia Vostraz, que desde 2011 leva por Mato Grosso e pelo Brasil a cultura regional em obras autorais e inspiradas em grandes nomes da literatura.

Reprodução/Assessoria

Cia. Vostraz de Teatro Conversa de botas e batidas

 Cena do espetáculo 'Conversa de Botas e Batidas'

O grupo criado pelos atores Venício Bulhões e Maicon D’ Paula enfrenta dificuldades, mas isso não impediu que eles pudessem rodar o país levando um recorte da cultura mato-grossense em um dos maiores festivais de teatro.

A Vostraz já foi contemplada com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz em 2013 e participou no Festival de Teatro de Curitiba. Venício passou em primeiro lugar na Escola Técnica de Teatro Martins Pena, no Rio de Janeiro, considerada a mais antiga escola de teatro da América Latina e que teve como alunos nomes como Procópio Ferreira, Denise Fraga e Cláudia Jimenez.

A companhia é a única representante do estado de Mato Grosso no Sesc Amazônia das Artes, com o espetáculo ‘Conversa de Botas e Batidas’. O festival comemora 10 anos em 2017 e tem como objetivo fazer o intercâmbio de manifestações artísticas entre os nove estados que integram a Amazônia Legal – incluindo mais um estado convidado, o Piauí – levando em turnê grupos de teatro, dança e música em apresentações gratuitas.

Reprodução/Facebook

Cia Vostraz de Teatro Rei de Espadas

Venício Bulhões na peça 'Rei de Espadas'. No espetáculo da companhia ele interpreta Henrique, um homem que entra em conflito depois de se apaixonar pela esposa de seu pai


A história dos fundadores do grupo se mistura com a história do teatro em Várzea Grande. Em 2009 eles realizaram o Fuzuê, primeiro e único festival de teatro de rua da cidade com o apoio de outras companhias e grupos culturais.

E é nos trancos e barrancos que as artes cênicas sobrevivem na segunda maior cidade do Estado. “Nós somos os nossos maiores incentivadores e patrocinadores”, conta Maicon.

Toda essa experiência dá sustentação e força para as pesquisas teatrais e textos originais que são encenados. O espetáculo Conversa de Botas e Batidas é uma peça que faz o recorde da cultura popular do Estado e de como ela conversa com o resto do Brasil.

A peça, segundo Venício, veio da necessidade de identificar o que é manifesto cultural em Mato Grosso. “No espetáculo, a gente traz um resgate de cores, cantos, musicalidade, religiosidade e do nosso folclore”, declara.

Divulgação/Site oficial Cia. Vostraz de Teatro

cia vostraz estrela maria

Venício Bulhões e Maicon D' Paula na peça 'Estrela Maria', onde interpretam Joaquim e Juca, personagens que vivenciam experiências infantis e adultas de um universo paralelo


Depois de apresentar a peça para o público cuiabano no jardim do Sesc Arsenal, a Vostraz se apresenta ainda em Manaus (AM), Belém (PA), Ji-Paraná (RO), e Macapá (AP). Este ano, eles já passaram por outras cinco capitais em turnê pelo festival Sesc Amazônia das Artes e têm planos para novos projetos no Pantanal ainda esse ano.

 

 

Leia mais