14 de novembro de 2017 - 12:13

Clube de leitura realiza 1º encontro nesta terça-feira no Sesc Arsenal

O evento gratuito reúne amantes da literatura. Eles discutem obra de Elvira Vigna

Lidiane Barros

, da Redação

lidiane.barros@olivre.com.br

Clube Arsenal de Leitura
 

Entusiastas da literatura realizam nesta terça-feira (14), o primeiro encontro do Clube Arsenal de Leitura. Forma-se assim, um grupo dedicado à pesquisa de obras de autores contemporâneos. A reunião começa às 19h30 e segue até às 21h, no Laboratório da Palavra.

O escritor Santiago Santos foi quem deu o pontapé ao projeto idealizado com base nas expectativas de outros amantes da literatura que se encontravam em oficinas realizadas no ambiente do Sesc Arsenal, grupos de discussão ou lançamentos de livros.

“Concordávamos que faltava uma programação fixa de literatura. Sempre tem gente interessada, mas até então não havia espaço. Sentíamos falta de um grupo para discutir uma obra específica e especialmente, para que pudéssemos incursionar por obras de autores contemporâneos”, exemplifica.

Por isso mesmo, neste primeiro encontro decidiram realizar debate sobre a obra da escritora Elvira Vigna, em dar visibilidade a esta que, segundo Santiago, vinha ganhando destaque nos últimos anos de vida, trajetória interrompida em julho deste ano por morte em decorrência do câncer. Segundo ele, Vigna é reconhecida por seu trabalho literário dedicado ao público infanto-juvenil, mas que recentemente, focava seu trabalho na fase adulta. 

Acervo Pessoal

Santiago Santos

Santiago Santos e outros entusiastas da literatura constataram a ausência de discussões sobre literatura contemporânea, tiveram , inclusive, dificuldade em achar o livro escolhido

“São limitados os ambientes para discutir esses autores. Em Cuiabá a exemplo, não havia em nenhuma livraria o livro que escolhemos para esta edição. Tivemos que fazer uma compra em conjunto pela internet para que pudéssemos adquirir o livro escolhido. Este é um indício de que a literatura contemporânea é pouco consumida”, conta. Para a primeira edição eles apreciaram a obra “Como se estivéssemos em palimpsesto de putas”.

Santiago ressalta que o evento é aberto a todos leitores e interessados em falar sobre literatura. “Vamos conversar sem qualquer formalidade, é para ser um bate-papo descontraído sobre o livro e sobre a autora”, diz.

No dia 28 de novembro eles se reúnem de novo para a prática. O 2º encontro estimula o exercício literário. “Faremos mini-contos baseados na linguagem dela”. A regra é só uma: não ultrapassar 1 mil palavras.

Além de se dedicar ao ativismo literário, Santiago também é tradutor, jornalista e escritor. Semanalmente publica seus drops literários no site Flash Fiction.

Questões éticas e identitárias

Segundo a enciclopédia livre do Itaú Cultural, a escritora paulista Elvira Vigna procura, em seus romances, refletir sobre temas atuais, relacionados a questões éticas e identitárias e ligadas a gênero. Conforme a crítica Edma Cristina de Góis, “ao tratar das instabilidades identitárias, a autora termina por apresentar também um panorama dos relacionamentos na contemporaneidade, mostrando que não há qualidades fixas nos sujeitos”.

Outros questionamentos ocupam suas narrativas, como a relação entre representação e realidade e as dificuldades de o narrador abarcar o mundo em que vive. A importância que confere a aspectos estruturais e de influência clássica, como a unidade da narrativa e o decoro – tanto interno, na relação entre o caráter dos personagens e suas ações, como externo, em que tais ações ganham importância nos debates éticos da atualidade –, também caracteriza sua crítica. Além de identificar tais elementos, percebe neles uma gama de sentidos sociais subjacentes.

Leia mais