08 de dezembro de 2017 - 11:18

Os mitos da cerveja escura

Aquela cerveja adocicada que vendem no mercado não é, nem de longe, a verdadeira cerveja escura

Vinicius Masutti

Divulgação/Pixabay

Cerveja clara e escura

Eu já falei para vocês a diferença de uma verdadeira Pilsen para uma “tipo pilsen”, lembra? Na ocasião contei que a grande indústria alterou a receita da Pilsen original, para barateá-la e torná-la menos complexa, lembra disso? Pois bem, hoje é o dia de descobrir porque aquela cerveja escura de mercado não é uma cerveja escura de verdade.

Sim, você leu bem. Mas como não é escura de verdade? Vamos lá.

Aquela cerveja escura e adocicada conhecida como Malzbier, cujo nome quer dizer em tradução literal “cerveja de malte” - o que é quase um pleonasmo. O problema é que esse tipo de cerveja, assim como a American Standart Lager, ou “tipo pilsen”, levam muito menos malte do que deveriam na receita. E no fundo as duas são basicamente a mesma cerveja. Sim, aquela cerveja clarinha tem a mesma receita que a escura, porém - e sempre tem um porém - com uma pequena diferença. Claro, é a cor, mas por trás daquela cor tem um detalhe sórdido.

Nós já falamos aqui que o ingrediente responsável pela cor e por boa parte do sabor de uma cerveja é o malte, lembra? O nível de torra do malte é que vai determinar a cor da cerveja, mas no caso da Malzbier, a grande indústria usa um artifício, um subterfúgio para escurecê-la, o corante caramelo IV. Sim, um corante artificial que escurece e traz aquele tom adocicado para a cerveja.

É por isso que aquela cerveja escura de mercado não é uma cerveja escura de verdade, porque é escurecida artificialmente. Mas saiba que existe um universo de cervejas escuras além da Malzbier, que na verdade nem é considerado um estilo de cerveja.

Lembre de quando falamos do malte. Cada nível de torra do malte trará uma característica de cor e sabor, que pode ir desde sabores de pão e biscoito, até chocolate meio-amargo e café, passando ainda pelo caramelo. Portanto não julgue toda e qualquer cerveja escura como aquela “cerveja preta” de mercado. Ficará surpreso com os sabores que a cerveja escura de verdade pode trazer.

Há ainda, um outro mito relacionado às cervejas escuras. Algumas pessoas pensam que por ser escura a cerveja é mais alcoólica e isso tem origem numa época em que nossas opções de cerveja eram limitadíssimas e só havia um estilo para beber, a “tipo pilsen”. Mas uma dessas grandes marcas, fazia uma vez ao ano uma cerveja no estilo Bock, que por definição do estilo é avermelhada e mais alcoólica e muita gente passou então a generalizar e relacionar a cor com a gradação. Mas, se você acompanha os meus textos, já sabe que a gradação alcoólica nada tem a ver com a coloração da cerveja, e sim com o estilo.

Portanto, minha sugestão hoje é que experimente uma legítima cerveja escura. Vá á um empório ou bar especializado em cervejas, conte o que aprendeu aqui e peça uma sugestão. Se a equipe for bem treinada, te indicarão uma boa opção. Pode ainda buscar em lojas virtuais, por estilos como Porter, Stout, Brown Ale e a própria Bock. Divirta-se e conte aqui como foi a experiência. Até a próxima. Saúde!

Vinícius H. Masutti