29 de setembro de 2017 - 06:00

A versátil uva Merlot, eleita a uva do Brasil

Em uma degustação às cegas com 40 especialistas do mundo todo, o Merlot brasileiro foi eleito o melhor do mundo

Ana Cristina Sucolloti

, da Redação

O brasileiro Dirceu Vianna Junior, único Master of Wine do Brasil - título de maior reconhecimento mundial para um profissional do vinho - e radicado há muitos anos em Londres, reuniu, em 2010, um grupo de 40 profissionais internacionais - entre eles 15 Masters of Wine - para uma degustação às cegas de vinhos da variedade Merlot produzidos em 11 países diferentes.

O resultado foi impressionante: entre os 10 melhores classificados pelos especialistas, oito eram brasileiros. Esse é mais um dos marcos obtidos pelos Merlots produzidos por aqui, dada a sua alta qualidade. E qual é o segredo de tanto sucesso?

Primeiro tem a questão da adaptação da uva ao lugar, ao tipo de solo, de clima e todas as condições que envolvem o cultivo da uva, o chamado "terroir". O relacionamento da uva Merlot com o Brasil é muito bom, ela se adaptou perfeitamente por aqui! Tanto que se diz que ela está se tornando a uva emblemática dos vinhos brasileiros.

O vinho Merlot produzido especificamente na Serra Gaúcha, a maior e mais tradicional região vinícola do Brasil em operação há mais de duas décadas, é onde são encontrados os melhores exemplos dessa uva.

Elegantes e sutis, os cachos são de tamanho médio, pele fina e parecem revestidos com veludo azul. Original da França, o Merlot se espalhou pelo mundo devido à sua alta produtividade. Além de fazer vinhos elegantes, jovens, fáceis de beber e compor blends, ela ainda está presente em um dos melhores vinhos do mundo: o Chatêau Pétrus, cuja garrafa não sai por menos de R$ 8 mil. 

Os vinhos Merlot são apreciados por sua textura macia, taninos aveludados e presença de fruta. Tudo isso pode ser sentido pelos paladares menos treinados em degustações comparadas de uvas distintas, assunto que já tratamos em uma das colunas anteriores. Essa uva é muito utilizada em blends (mistura com outras uvas) pois a sua maciez e doçura ajudam a equilibrar os traços mais fortes das outras uvas.

A palavra “merlot” significa “pequeno merle”, ou melro, em francês, que é um pequeno pássaro preto comum na Europa. A origem do nome talvez esteja na comparação da cor das uvas maduras com a cor dessa ave, ou na forma como os melros gostam de comer essas uvas antes da colheita.

Esse vinho pode ser apreciado sem acompanhamento de comida, pois é redondo, sedoso e aveludado. Agora, se a ideia for prova-lo junto a uma refeição, seguem algumas sugestões de harmonização:

Terrines de especiarias ou ervas e patês em geral
Frios como salames, presunto de parma, copa e outros
Carnes como pato, coelho, peru, vitela, carne de panela, guisados
Cozinha árabe
Risotos de funghi, isca de carne, gorgonzola ou carne seca com abóbora
Escalopes com molhos clássicos (Madeira, Chateaubriand, Champignons, Roti e outros escuros)
Massas com molhos vermelhos, a base de carnes e gratinadas
Queijos cremosos, como brie e camembert, além de queijos amarelos como ementhal, gouda, gruyére, cheddar e parmesão

Por via das dúvidas, evite Merlot com peixes, folhas verdes cruas, e comidas picantes.

Experimente bons merlots brasileiros, irá se surpreender!

Um brinde a todos os produtores brasileiros e ao nosso Brasil, que tem se destacado mundialmente com seus vinhos! Saúde!!

O Livre

Mini biografia Ana Cristina Sucolotti