12 de maio de 2017 - 08:08

Produção mato-grossense aumenta 33,5%, diz Conab

Dados consolidam a liderança do Estado no país, que vai responder a 25% da produção nacional

Gabriele Schimanoski

, da Redação

gabriele.schimanoski@olivre.com.br

Há cincos anos, Mato Grosso se consolidava como líder na produção de grãos no país deixando o Paraná em segundo lugar. O fato é comemorado por produtores nesta semana com a divulgação do 8º levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Os dados consolidam a liderança mato-grossense na produção de grãos com a estimativa de 57,9 milhões de toneladas, o que significa um crescimento de 33,5% em relação ao ciclo anterior e corresponde a 25% da produção nacional.

O milho registrou o maior aumento entre as culturas. O crescimento foi de 63,6% se comparado com a safra anterior 2015/16, quando o cereal teve quebra de pelo menos sete toneladas no estado por causa das más condições climáticas. Por hectare, a produtividade deve passar dos 4 mil quilos para 5,6 mil, o equivalente a 93,3 sacas. A produção passará de 15 milhões de toneladas para 24,9 milhões. Em relação a área plantada, o crescimento foi de 15%, chegando a 4,3 milhões de hectares.

Entretanto, os números continuam abaixo dos projetados no último relatório do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que prevê a produção de 28 milhões de toneladas do cereal e produtividade média de 98,8 sacas por hectare (5,9 mil kg/ha). Quanto à área de lavoura, o Imea soma 4,7 milhões de hectares.  

Soja
Segundo a Conab, o balanço em Mato Grosso é positivo pós colheita. As condições climáticas contribuíram para a produtividade média alcançada de 53,3 sacas (3,2 mil kg/ha), rendimento 14,9% superior à safra anterior (2,8 mil kg/ha). Em relação à área plantada, a pesquisa registrou incremento de 2% na lavoura, passando de 9,1 mil hectares para 9,3 mil. A projeção total é 30,5 mil toneladas, volume 17,2% superior às 26 mil toneladas da safra passada. Os números variam pouco se comparados com os divulgados pelo Imea, 31 toneladas com produtividade média de 55 sacas/ha.

Novidades
A Conab também registrou lavouras comerciais de mamona nos municípios de Campo Novo do Parecis, Itiquira e  Primavera do Leste. A  estimativa  de  área total é de 1,7 mil hectares. Em relação à produtividade, o rendimento esperado é de 1.200 kg/ha, com uma produção total de  2  mil  toneladas. Segundo o estudo, o  plantio foi  realizado em  março, e as lavouras estão em  fase  de  desenvolvimento. O informe diz ainda que a toda a produção já está vendida para a indústria química.

Números nacionais
A projeção para o país é que sejam colhidas 232 milhões de toneladas de grãos, um aumento de 24,3% em relação à safra anterior, o equivalente a 45,4 milhões de toneladas. Soja e milho correspondem a cerca de 90% da produção brasileira.

Entre os motivos da “supersafra”, segundo a Conab, está a ampliação da área de cultivo (3,5%) ultrapassando os 60 milhões de hectares e a boa produtividade média alcançada nas lavouras, que deve chegar a 3,4 mil quilos por hectare.

De acordo com o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, a projeção da Conab indica um novo patamar de produtividade. “Não só por questões de clima, mas também de tecnologia, de sementes”. Ele destaca ainda que os números dão a dimensão do quanto a agricultura é importante para o país. “É o setor que mais reflete na balança comercial. É motivo de orgulho e comemoração essas 45 milhões de toneladas a mais”.

Leia mais