12 de setembro de 2017 - 16:10

MT registra o maior número de abates desde a Carne Fraca

Em agosto, a alta foi de 13,12% na comparação com o mês anterior. Exportações tiveram alta de 58% na comparação anual

Gabriele Schimanoski

, da Redação

Gabriele Schimanoski/O Livre

File_006.jpeg

Passados cinco meses da operação Carne Fraca, que abateu toda a cadeia produtiva da carne, a indústria de Mato Grosso vem reagindo positivamente. Em agosto último, o estado registrou o maior número de abates desde a operação, com 496,9 mil animais abatidos.

O número é 13,12% maior que o registrado no mês anterior (julho). Entre as categorias, o abate de machos teve um acréscimo de 18,84%, enquanto o de fêmeas registrou alta de 5,10%, se comparado ao mês anterior.

Em julho, o volume abatido já tinha retomado os níveis pré-carne fraca. Em fevereiro, foram abatidos 359,2 mil animais. Em julho, foram abatidos 439,3 mil animais.

A quantidade de animais abatidos com menos de 24 meses cresceu 48,41%, devido à maior entrega de animais criados em confinamentos.

Os dados foram divulgados no último boletim da Pecuária, produzido pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Conforme a publicação, o número de abate de animais deve se manter devido ao aquecimento da demanda interna e dos recordes registrados nas exportações de carne no estado.

Exportações
As exportações da carne bovina mato-grossense também bateram recorde em agosto conforme dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Mdic). O aumento foi de 58% em relação ao mesmo período em 2016.

A venda da carne mato-grossense em agosto movimentou US$ 119,3 milhões ante os US$ 75,4 milhões registrados em agosto de 2016, passando de 27,1 mil toneladas para 27,1 mil toneladas. No acumulado do ano, as exportações já somam US$ 692,6 milhões.

Arroba
Segundo o Imea, a última semana ficou marcada por uma maior resistência dos produtores em entregar seus animais. Isso fez com que os preços permanecessem em alta. A arroba do boi gordo registrou alta de 4,26%, sendo cotado a R$ 131,20 a arroba.

Acrimat
Para o diretor-executivo da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari, os números atestam a retomada da economia brasileira, bem como a qualidade da carne produzida no país. “O setor vem se recuperando. Primeiro foram os mercados externos e agora com a criação de postos de emprego, isso impacta direto no consumo das famílias brasileiras”.

Conforme os dados do Cadastro Nacional de Emprego e Renda (Caged), divulgados pelos Ministério do Trabalho, o saldo de empregos em agosto no estado foi de 8.085, o maior saldo para o mês em 14 anos.