11 de julho de 2017 - 08:58

Mato Grosso imuniza 99,85% do rebanho contra aftosa

"Foi um recorde, maior índice vacinal já alcançado no estado", diz presidente do Indea

Gabriele Schimanoski

, da Redação

gabriele.schimanoski@olivre.com.br

Pedro Singer/O Livre

Guilherme Nolasco

Esse foi o primeiro ano da inversão do calendário, diz presidente do Indea, Guilherme Nolasco

A campanha de vacinação contra a febre aftosa imunizou 99,85% do rebanho mato-grossense, o que corresponde a mais de 28,9 milhões de animais. A informação foi dada na manhã desta terça-feira (11) pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea). A primeira fase da vacinação foi realizada em maio e todos os animais de mamando a caducando deveriam ser imunizados. Esse foi o primeiro ano da inversão do calendário.

O presidente do Instituto, Guilherme Nolasco, disse que a baixa inadimplência se deve à intensa campanha de conscientização realizada com os pecuaristas. "Foi um recorde, maior índice vacinal já alcançado no estado", avaliou.

Desde 2005 as etapas de vacinação têm alcançado índices de vacinação superiores a 99%. Das regiões que bateram recorde de vacinação estão a Cáceres e a de Lucas do Rio Verde, ambas alcançaram o índice de 100%. Juntas somam mais de 16,6 mil propriedades rurais com rebanho de quase 5 milhões de animais. Ao todo foram checadas mais de 104,5 mil propriedades em todo o estado.

Recontagem
Nolasco afirma que havia uma expectativa muito grande em relação a variação do tamanho do plantel em Mato Grosso, devido a Campanha de Atualização do Estoque promovida pelo governo estadual, onde o produtor pode atualizar o número de animais sem multas. “Havia a preocupação de uma possível diminuição do rebanho com a atualização dos números, o que não ficou comprovada. Nós temos um estoque estabilizado”, ressaltou.

Nesta etapa o rebanho de Mato Grosso somou 28,9 milhões. “Se somarmos as 690 mil cabeças do baixo Pantanal em que a vacinação ocorre entre 1 de novembro e 15 de dezembro esse número passa para 29,6 milhões de cabeças”, detalhou Nolasco. O número representa 579 mil animais a menos que o registrado pelo Indea em 2016, quando o rebanho somou 30,2 milhões de animais. “Tivemos uma variação mínima explica”, avaliou.

Comparativo vacinação
Em relação a etapa de vacinação promovida em novembro de 2016, foi registrada queda de 1,91 pontos percentuais no número de animais, um total de 579 mil cabeças. O fato, segundo o presidente, não significativa dizer que o plantel de Mato Grosso diminuiu. “A contagem foi realizada em momentos diferentes sem considerar a dinâmica das criações".

De acordo com as estimativas do Instituto o rebanho mato-grossense continua crescendo. "Se tivéssemos uma etapa cheia, com as propriedades do baixo Pantanal, certamente esse número seria superior a contagem de animais de novembro de 2016", pontuou o presidente.

Carne Fraca
Os efeitos causados pela Operação Carne Fraca foram sentidos nos abates mato-grossenses. Entre março e abril, o abate de animais com origem em Mato Grosso caiu de pouco mais de 350 mil para 280 mil cabeças.

 

Leia mais