10 de outubro de 2017 - 14:35

Maggi e Leitão anunciam suspensão da importação de leite do Uruguai

Pedido foi feito há meses por produtores; objetivo é fortalecer o mercado interno

Gabriele Schimanoski

, da Redação

gabriele.schimanoski@olivre.com.br

FPA

CIDINHO MAGGI LEITÃO

Durante reunião com a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), nesta terça-feira (10), o ministro Blairo Maggi decidiu suspender, por tempo indeterminado, a importação de leite do Uruguai. Segundo Maggi, até que a rastreabilidade do leite uruguaio seja inspecionada, estão suspensas as licenças de importação do produto.

No final de agosto, Maggi já havia cogitado uma cota para a importação do produto do país vizinho. A medida atende um pedido dos produtores de leite brasileiros que se dizem prejudicados com as importações do produto uruguaio. 

“Na FPA tivemos a oportunidade de ouvir os deputados e deliberar pela suspensão. O próximo passo será o envio de uma equipe técnica para investigar a rastreabilidade do leite para só assim, o Uruguai ter de volta a garantia para uma importação justa”, disse Maggi.

Segundo o ministro, o setor está recebendo total apoio à questão e o Governo ira se posicionar para garantir o sustento da atividade no País.

“Retornei de uma missão internacional ontem, e hoje minha primeira agenda foi para tratar disso. Reconhecemos as dificuldades que o setor leiteiro tem e estamos somando esforços pra resolver”, assegurou.

Ao trancar a importação do leite, o ministro espera dar ‘fôlego’ ao setor, atendendo a uma demanda emergente. “A decisão foi conjunta com os parlamentares que estão na base e nos trazem de lá os problemas dos setores. A situação será analisada com todo respeito e critério que exige para garantirmos que o leite que é produzido no Uruguai venha 100% para o Brasil e em quais condições isso acontece”, declarou Blairo Maggi.

Outra medida anunciada pelo ministro da Agricultura diz respeito à cota de importação. “Estamos trabalhando nessa pauta, a exemplo do que já acontece com a Argentina. O Uruguai não é simpático à medida, mas, entendemos como necessária para o mercado brasileiro”, disse Maggi, sob pena do Itamaraty estudar a retirada do leite do Mercosul.

*Com informações de assessoria