18 de maio de 2017 - 06:45

Colniza se torna a capital do café em MT

Programa Pró-Café, do governo estadual, incentiva 500 produtores de dez municípios da região

da Redação

pautas@olivre.com.br

Maria Anffe/Gcom-MT

rosiel pereira.jpg

 Rosiel Pereira trocou a construção civil pela agricultura familiar para produzir café em Colniza


Das 58 milhões de toneladas de grãos que serão produzidas em Mato Grosso neste ano, Colniza deve contribuir com pouco mais de 100 mil sacas só de café, o que rendeu ao município o título de “Capital do café” no Estado. Das 35 mil famílias que vivem lá hoje, boa parte trabalha com o cultivo do grão como é caso de Rosiel Pereira, que largou a construção civil para trabalhar com a agricultura familiar.

“Eu nasci há 40 anos, embaixo de um pé de café no Espírito Santo, e hoje consigo viver da minha pequena propriedade”, comemora. Recentemente, Pereira ganhou duas mil mudas dos viveiros de Colniza, com o apoio do programa Pró-Café, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT).

A secretaria desenvolve o Pró-Café desde 2015 e incentiva 500 produtores de dez municípios da região. Para a reestruturação do viveiro municipal, o governo destinou cerca de R$ 12 mil. A unidade possui um jardim clonal com 1,1 mil pés plantados de café, 80 mil mudas e capacidade para chegar a 160 mil.

O secretário de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários, Suelme Fernandes, lembrou que o município tem forte influência de Rondônia, Estado onde o café é o produto que mais gera ICMS. 

Para o secretário de agricultura de Colniza, Odair Inéias Bach, a reestruturação veio em boa hora e lembrou que o município vive um momento delicado. No último mês, a população vivenciou uma chacina na gleba Taquaruçu do Norte, zona rural do município – nove pessoas morreram. “Nós temos que lutar pela superação e estamos empoderando os pequenos cafeiculturores de Colniza para que isso aconteça”, disse.

*Com assessoria da Secretaria de Agricultura Familiar

Veja mais