08 de fevereiro de 2018 - 17:10

Celular de Maggi

Polícia Federal suspeita que ministro tenha apagado mensagens de aparelho apreendido

da Redação

Ednilson Aguiar/O Livre

Blairo Maggi

Ministro nega ter acessado aparelho e deletado mensagens

A Polícia Federal suspeita que o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), tenha apagado mensagens do aparelho celular apreendido durante a 12ª fase da Operação Ararath, apelidada de Malebolge. O ministro nega.

De acordo com o jornal O Globo, um relatório da PF indica que as mensagens de um grupo no Whatsapp podem ter sido apagadas remotamente no dia 14 de setembro, data em que a operação foi deflagrada. Uma perícia deverá ser realizada no aparelho para confirmar se o ministro ou alguém a seu pedido teriam alterado o conteúdo das conversas.

A defesa do ministro já tentou anteriormente recuperar a posse dos aparelhos de Maggi e de sua esposa, Terezinha Maggi. O pedido foi negado pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), devido à necessidade de novas diligências e investigações por parte da PF.

[Atualizada às 17h58]
A defesa do ministro Blairo Maggi informou, em nota, que "desde a entrega dos aparelhos celulares à Polícia Federal não houve nenhum tipo de acesso aos dispositivos por parte do ministro. Reafirma ainda que, de forma absolutamente colaborativa, Blairo Maggi entregou no ato da apreensão todas as senhas dos aparelhos juntamente com os telefones e o iPad, permanecendo todos seus dispositivos e senhas custodiados pelos agentes do Estado desde o dia 14 de setembro de 2017 até a presente data".

Confira Também: